A doula e a parteira no parto

Muitas pessoas acham que ser doula e ser parteira é o mesmo. Não é.
Veja algumas diferenças importantes:
- A parteira, no brasil, para ser habilitada é: ou enfermeira com especialização em obstetrícia, ou obstetriz  ou médico(a).
- A doula pode ser qualquer mulher, pois, não é uma profissão e sim uma atividade profissional, sem uma formação específica. Cada doula tem diferentes capacidades conforme suas características e sua formação de base, e isto dá diversidade ao acompanhamento.

- A parteira está com o foco no trabalho de parto, nos batimentos cardíacos do bebê e da mãe, está a serviço do nascimento. 
- A doula também está a serviço do nascer, no entanto, não está habilitada a fazer exame de toque ou escutar os batimentos cardíacos, seu foco é o bem estar da mulher. Sugere movimentos, massagens, conversa, apóia, acolhe e assegura para que a mulher se sinta amparada física e emocionalmente no momento do parto.

- A parteira pode ser uma doula desde que tenha outra parteira ou obstetra que esteja com o foco nas questões de ordem prática e fisiológica do nascimento. Com o foco nas duas coisas, no processo de parto e na mulher, uma só pessoa corre o risco de fazer uma das duas coisas mal feita.
- A doula não pode responsabilizar-se sozinha por um parto, ela precisa de um médico ou parteira habilitado(a).  


Yoga Gestante - sequência em cócoras

video
Cris Bambini, 3 dias antes do nascimento do Bento
Lembre-se: para qualquer atividade física na gestação é preciso liberação médica!
Cortando Lenha
  • Esta sequência pode ser feita a partir do segundo semestre de gestação até o final.
  • Os movimentos devem ser feitos em sincronia com uma respiração profunda e constante. 
  • Trabalha abertura da pélvis, força nas pernas e feita repetidamente também fornece resistência física.
  • Além de trazer vigor, estimula a energia da eliminação, por isto é indicada logo antes do parto também, se não houver algum risco de parto prematuro. 
  • Pode ser trabalhada a musculatura do períneo associadamente, como dito no vídeo. 
  • Pode ser feita com um suporte abaixo dos calcanhares, caso seja difícil apoiar todo o pé no chão.
  • As posturas de yoga precisam trabalhar o corpo de forma confortável, evite fazer se houver dor.

Escolhendo a Doula


     A doula é um personagem antigo na cena de parto, era a mulher que acompanhava a parteira e servia a mulher para que seu parto fosse da melhor forma. Culturalmente, a doula saiu de cena quando a parteira saiu de cena e agora está voltando junto com o renascimento do parto. A doula da atualidade é multifacetada, atua em diferentes áreas profissionais e realiza acompanhamento na gestação, parto e pós parto.
       Doula não é uma profissão, é uma atividade profissional. Existem doulas psicólogas, doulas massagistas, doulas dançarinas, doulas fisioterapeutas, doulas enfermeiras, doulas professoras, doulas mães, doulas mulheres, doulas comadres... Qualquer mulher pode ser doula desde que conheça bem a fisiologia do parto, às necessidades de uma mulher durante a gravidez e o pós parto.
     A doula é uma acompanhante perinatal, atua de forma a promover apoio e suporte físico e psicológico na gravidez, parto e pós parto. Como qualquer outra atividade profissional a doula deve ter conhecimento, conteúdo e informação. Cada doula terá diferentes atributos e competências de acordo com sua formação profissional de base e sua singularidade.
     Por exemplo, além de estar ali como pessoa e mulher, sendo psicóloga e professora de yoga eu atuo como doula com estas duas ferramentas. Da mesma forma, uma doula que é professora de dança tem a dança como ferramenta e uma doula que é fisioterapeuta tem o conhecimento da fisioterapia. As formações de cada doula enriquecem muito o trabalho e vai de cada mulher a escolha da doula que mais se identifique.
     Leve em consideração para escolher sua doula:  
1.       Você quem faz a seleção - é a mulher quem escolhe a sua equipe de apoio, ela quem escolhe a doula e não a amiga, o médico ou a parteira que já está lhe acompanhando. Se o seu médico ou parteira disser que trabalha somente com a doula “x”, questione, pesquise outras doulas se aquela indicada não lhe agrada. Para escolher você vai precisar de mais de uma opção ao invés de somente dizer que quer doula ou não quer.
2.       Empatia - Converse com a sua canditada à doula e veja se “dá liga”, se existe empatia, para além da teoria e da formação que ela tiver. Mais importante que a formação de base, sua doula precisa ser uma pessoa que você se sinta muito à vontade e confie.
3.       Tipo do acompanhamento - Pergunte como a doula trabalha, se tem alguma formação acadêmica e que tipo de ferramentas costuma utilizar no acompanhamento. Veja se a candidata acompanha só no parto ou se faz também algum acompanhamento durante a gravidez e o pós parto. Algumas doulas acompanham somente na gravidez, outras somente no parto e outras no pós parto.
4.       Disponibilidade - Certifique-se de que a doula que você escolheu vai estar disponível no período provável de nascimento e pergunte se ela não tem nenhuma outra mulher para parir no mesmo período. Caso tenha, veja se ela trabalha junto com outra doula e procure conhecer a doula “reserva” também.
5.       Formação de doula – Pergunte se a doula fez algum curso de doula. Avalie se ela tem conhecimento do assunto e se passa credibilidade no conteúdo e na forma como se posiciona.