Nutrindo os Sentidos do Bebê

    Desde a gestação sabemos que é importante estreitar um vínculo afetivo com o bebê. Para além de comprar roupinhas, preparar o quarto, amamentar, trocar fraldas e dar banho, reservar um momento para simplesmente estar com o bebê em consciência e amor pode ser fundamental para a saúde de ambos. 
   
      Na gravidez: estabelecer momentos para comunicar-se com o bebê, concentrar-se nele, intencionando coisas boas e agradáveis pode ser importante para iniciar a formação de um vínculo nutritivo.

     Depois de nascido, algumas vivências como por exemplo, um banho de balde (ofurô para bebês), uma Shantala (massagem indiana em bebês), ouvir uma música boa e contar histórias podem enriquecer muito a nutrição afetiva do bebê.
   
   Para uma boa qualidade do vínculo mãe-bebê é importante que a mãe cuide de si mesma, detectando suas necessidades e procurando aquilo que lhe fará bem. Para um contato nutritivo e saudável com seu bebê a mãe precisa estar bem nutrida e saudável.  
  
ALIMENTANDO O BEBÊ COM AMOR:


      1.  Através do toque:
A pele é o maior órgão sensorial do bebê. Estudos já demonstraram que a massagem em bebês aumenta a imunidade, melhora o sono,  o funcionamento digestivo, a circulação e facilita a formação do vínculo.
 A forma de segurar o bebê, manipulá-lo ou acariciá-lo comunica e alimenta a necessidade afetiva do bebê. O contato com a pele do bebê nutri afetivamente ambos e principalmente faz com que o bebê se sinta amado e nutrido amorosamente.


2.   Através da Fala e do Som:
A voz da mãe pode acalmar ou agredir. Seu tom de voz pode expressar suas emoções, mesmo que o bebê não compreenda o exato significado das palavras. Não precisa falar sempre como palhaço com o bebê, mas com verdade e sinceridade.
Músicas podem ser desde a gravidez uma forma de contato com o bebê. Cantigas de ninar, histórias e a voz da mãe calma da mãe traz calma ao bebê.


3.  Através do olhar:
O olhar toca o bebê na sua necessidade de ser olhado. Seu olhar buscará a mãe, principalmente na amamentação e este olhar pode ser afetuoso ou não, existente ou não.


4. Do paladar e olfato:
Na amamentação o bebê se alimenta de leite e contato afetivo. O cheiro da mãe, estimula o bebê a respirar e a dar um ritmo à própria respiração.  O SABOR DA VIDA é dado nestas primeiras experências. Olfato, cheiro, lembrança e emoção são intimamente ligados no cérebro.        


Um comentário:

  1. Linda essa relação mãe/filho. Agradeço a Deus por me dar a oportunidade de experimentar!

    ResponderExcluir